Passeando com seu cão – parte 1

No post 3 coisas que você achava que sabia sobre cães falei pra vocês que cachorro precisa passear. Hoje vou dar uma mãozinha para os donos que acham que não dá pra sair com o dog.

Muitos animais têm medo de ir na rua. Os seres humanos foram feitos para se movimentarem, mas ainda assim tem gente que se acostumou tanto a não se movimentar que quando tenta quase morre. Do mesmo modo, cães são animais migratórios (feitos para caminhar muitos quilômetros todos os dias, procurando comida e patrulhando o território), mas alguns se acostumaram tanto a ficar dentro de casa que têm medo de botar a cara na rua. Seguindo estes 5 passos você vencerá esse problema.

Passo 1 – associar a coleira e a guia a coisas boas

Se seu pet não está acostumado a sair, não dá pra achar que vai botar a coleira nele e sair pela rua na maior felicidade, sem nenhum problema. Tem cachorro que só vê a coleira pra ir ao veterinário tomar agulhada. É claro que esse animal vai associar coleira com algo ruim. Se seu bichinho é desses, o primeiro passo será desfazer essa associação. Como? Pegue a coleira e a guia na sua mão várias vezes ao dia e depois guarde. Depois de um tempo, passe a pegar coleira e guia e se aproximar do dog, depois guardar. Depois de mais um tempo, pegue coleira e guia, se aproxime do dog, dê um petisco e guarde. Quando esse ritual já for normal para ele, coloque a guia e a coleira nele, dê o petisco e tire (não vá para a rua ainda). Depois que ele conseguir ficar com a coleira sem se apavorar, deixe que permaneça com ela por alguns minutos dentro de casa (sem a guia, para não ficar atrapalhando), dê petisco e guarde. Vá aumentando esse tempo gradativamente até que você perceba que a associação coleira/coisa ruim já se desfez na cabecinha canina.

Passo 2 – ensinar a sentar

Se seu dog não tem medo da coleira e da guia, você pode começar direto por este passo.

Alguns cachorros nunca foram ensinados a andar com coleira e guia (não, eles não nascem sabendo isso), muito menos a caminhar conectados ao humano através delas. Esses animais, quando são de médio ou grande porte, ou mesmo pequenos mas vigorosos, podem causar problemas na rua e até derrubar o condutor. Para que isso não aconteça, ensine ao bicho o comando “senta”. Isso acostumará o peludo a te obedecer e te dará uma ferramenta para usar quando sentir que está prestes a perder o controle durante o passeio.

Segure na sua mão um pequeno pedaço de algo que o cão goste de comer (uma lasquinha de frango, um pedacinho de biscoito canino, uma bolinha de ração se ele apreciar). Segure acima da cabeça do peludo, mas próximo, de modo a fazer com que ele levante o focinho tentando pegar o petisco e mova a cabeça para trás. Essa posição fará com que naturalmente sente. Quando o bumbum tocar o chão você entrega o petisco. Na terceira repetição, ao aproximar sua mão da cabeça você fala “senta” antes que ele sente. A partir daí dá o comando “senta” em todas as repetições. Mesmo os cães mais teimosos e indisciplinados aprendem esse comando com facilidade. Com o treino, o dog passa a sentar sem que você tenha que usar a mão com petisco para provocar o movimento. Depois que houver fixado o comando, intercale petisco na mão com mão vazia. O cachorro vai sentar sempre, mesmo que algumas vezes receba apenas um incentivo verbal (“muito bem!” ou “bom garoto!”). Dica bônus: sempre feche a mão ao dar o comando, ele vai pensar que você tem um petisco escondido.

Passo 3 – praticar “senta” com coleira e guia

Este passo dispensa grandes explicações. Depois que o dog houver aprendido o comando “senta”, passe a treinar com ele usando coleira e guia.

Passo 4 – simular dentro de casa a caminhada

Coloque coleira e guia no cachorro, pegue uns petiscos e caminhe dentro de casa, mas sem tirar os olhos dele. Se perceber que ele vai ficar nervoso com a guia, que vai se atrapalhar em uma passagem mais estreita, pare antes que aconteça, dê o comando “senta” e entregue o petisco. Assuma o controle da situação e seu peludo vai aprender a confiar em você.

Passo 5 – ganhar as ruas com seu doguinho

Quando tudo estiver funcionando bem na caminhada dentro de casa é hora de cair na real e ir pra rua. No dia que escolher pra isso não fique nervosa. A guia é um excelente condutor de emoções. Se você ficar nervosa, vai passar o sentimento para o cão. Calce sapatos confortáveis e estáveis (em você, não no cachorro), coloque uns petiscos no bolso e um saquinho de plástico para recolher o cocô, caso aconteça. Escolha um horário com menor movimento na rua e com a temperatura adequada (passear com cachorro das 9 às 18 horas durante o verão no Rio de Janeiro é morte certa com o calor). No princípio, evite áreas com muita gente e com outros cães. Comece com caminhadas curtinhas – a primeira pode durar menos que 5 minutos – para diminuir a chance de alguma coisa dar errado e ainda deixar o peludo com gostinho de “quero mais”. Vá aumentando o tempo gradativamente.

Depois destes 5 passos não tem mais desculpa pra continuar mantendo seu cachorrinho trancafiado em casa. Bom passeio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *