Planeje a chegada do bichinho de estimação

Às vezes a ideia surge a partir de um pedido das crianças; às vezes de um post compartilhado no Facebook: ter um bichinho de estimação. Essa pode ser uma das melhores decisões da sua vida, mas também pode terminar em desastre se você não se planejar com antecedência.

A chegada de um pet em casa, seja cão ou gato, muda a rotina de toda a família e também muda a vida da criaturinha peluda. Para que todas essas mudanças tenham impactos positivos, você precisa pra parar algumas coisas primeiro. Para te ajudar, preparei o seguinte roteiro:

1- escolha o momento de vida certo

Se você está com um bebê novo em casa, ou concluindo o mestrado, ou começando em um emprego novo, já tem movimento demais acontecendo e não vai acrescentar mais um, não é mesmo? Deixe para adotar um bichinho em um daqueles momentos da vida em que as coisas estão estáveis.

2- escolha o momento financeiro adequado

Animal de estimação custa dinheiro. Mesmo que você adote, não compre em canil, vai ter gastos. Tem a compra do “enxoval” inicial (pratinhos, cama, coleira e guia, tapetes higiênicos ou bandeja de areia, ração) e as vacinas. Isso sem contar que o peludo pode chegar com vermes ou outra doença e você terá que gastar com consultas ao veterinário e medicamentos.

3- escolha o dia certo

No dia em que o pet chega na sua casa, não conhece o ambiente, nem as pessoas, nem as regras. Ele precisa que você esteja por perto para começar a apresentar todas essas novidades. Ou seja, você necessitará ter tempo para ficar com ele. E não será só no primeiro dia. Esse processo levará alguns dias até que seja seguro sair para trabalhar e deixar o filhote (ou mesmo animal adulto) sozinho em casa. O ideal é programar a chegada do bichinho para acontecer durante suas férias do trabalho. Se não for possível, escolha ao menos um final de semana prolongado para que vocês tenham 4 ou 5 dias juntos.

4- defina tarefas

Se você não mora sozinho, pode e deve envolver todos os membros da família nos cuidados com o pet. Estabeleça as funções de cada um antes da chegada, para evitar o jogo de empurra depois.

5- escolha o veterinário

Criança sempre “resolve” ficar gripada no momento em que as farmácias estão fechadas e não há onde comprar um xarope. Cães e gatos não são diferentes, por isso defina a clínica ou profissional veterinário antes de precisar dele. Peça indicações de amigos que já têm pets. E tenha uma alternativa em mente caso o primeiro não esteja acessível. A clínica que meus cães frequentam não funciona 24h. Caso ocorra uma emergência à noite, levo numa outra clínica aqui perto.

Se você está considerando trazer um peludo para sua vida, espero que este post te ajude. Se você já tem um, conta pra gente nos comentários como foi a chegada dele. Bjs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *